Por que entrar na política?

Acredito muito que somos a mudança que queremos. E foi pensando nessa mudança, e na certeza que são as decisões mais difíceis que permitem que cresçamos como pessoas, é que entro na vida pública.

Na minha vida sempre foi assim. Sempre foram decisões difíceis e por vezes dolorosas. Mas todas me fizeram crescer e amadurecer. Nada foi em vão! E também agora não será!

Entro na "política" para ser uma voz cristã-evangélica. Não será ousado da minha parte dizer que quero ser profeta nesse "campo minado" onde tudo e todos colocam a política como uma instituição perdida e corrupta.

Quero ser profeta que anuncia, denuncia e que indica caminhos.

É por isso que entro para a vida pública: Para, à luz do Evangelho de Cristo, "ser sal e luz" (Mt 5,13).

Não quero me promover em cima da religião. Mas para quem me conhece não há como dissociar a religião e minhas convicções religiosas de toda minha história.

Mas sirvo-me dessas convicções para dizer o quanto quero ser alguém capaz de ser uma voz de mudanças sociais dentro do nosso município. Uma voz que ouve, enxerga e propõe melhorias para uma convivência mais justa e equânime.

Minha pretensão como pessoa pública é olhar para todos, olhar para o que é melhor para a vida de cada um como coletividade e para uma "Cachoeirinha que Merece Mais".