Conheça Pedro Stein

Sou Pedro Stein, tenho 45 anos, casado e natural de Salvador do Sul/RS.

Sou de uma família de agricultores. Tanto meu pai como minha mãe sempre tiveram da terra seu sustento e renda.

E são deles os méritos da pessoa que eu sou. E foi nesse ambiente simples do interior e com uma religiosidade muito forte que nasce em mim, desde pequeno, a vontade de ser padre. Foram anos de discernimento até decidir sair de casa aos 12 anos de idade para responder ao chamado que Deus fazia para a minha vida.

Comecei meus estudos para ser padre em 1989 e os interrompi em 1993 entendendo de que minha vocação poderia ser outra. Porém, passados 3 anos, em 1997, Deus me conduzia mais uma vez ao caminho do sacerdócio. Reiniciei meus estudos ainda naquele ano e fiquei padre em janeiro de 2006.

E foi nesse ano, 2006, que começa minha história em Cachoeirinha.

Fui designado para começar meu ministério aqui em Cachoeirinha na Paróquia São Vicente de Paulo e iniciar meu "ser padre" com uma pessoa muito lembrada com um carinho e respeito: Pe. Ermelindo Lottermann. Quem não lembra desse padre? Foram mais de 20 anos dedicados à igreja e à cidade.

Foi com ele que aprendi muito sobre o cuidado que devemos ter às pessoas que mais necessitam de olhar e carinho. Há em mim muito do que escutava ele falar sempre da sua preocupação com as pessoas dessa nossa querida cidade. Ele sempre tinha uma palavra de encorajamento e de amor que carregavam uma vontade latente em querer ajudar. Ele nunca deixou de atender uma só vez em que ouvia a porta da casa paroquial bater, mesmo que de madrugada.

Mas foi exercendo meu ministério com muito amor e devoção que, mais uma vez, Deus fala comigo de uma maneira a me balançar toda a minha vida.

Frente a tantas situações e num discernimento baseado em muita oração, decido deixar de exercer o ministério sacerdotal.

Assim, converso sobre meu afastamento com o bispo diocesano, conheço a Lisiane, começamos a namorar, encaminho meu pedido de afastamento ao Vaticano e em 2013 recebo a bênção do Vaticano sobre minha nova condição de leigo e ser, como batizado, um "fermento" em meio a comunidade.

Hoje casado com a Lisiane e pai do Miguel e com uma atuação muito forte na comunidade católica e entendendo que preciso, por vocação e vontade de Deus ser alguém capaz de fazer a diferença pra melhor no mundo de hoje, que me coloco a caminho de um novo e grande desafio como pré-candidato a vereador dessa cidade que me acolheu em 2006.